quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015


 ÉPOCA 2015

Tenho prometido que iria actualizar o meu blog e embora tarde ...., aqui está.

A época de 2014 começou bem, com os reprodutores a serem alvo dos cuidados especiais próprios da fase de preparação.
Fiquei admirado com o estado de saúde dos mesmos após os "tratamentos", o que veio confirmar as opiniões que recebi de Colegas que já praticavam este novo método, nomeadamente em Itália e Espanha.
O tratamento consiste em administrar aos canários produtos duma nova geração, isenta de químicos e com base em produtos naturais como as aves ingerem no estado selvagem para manterem o bom estado de saúde.

Quando tive a oportunidade em Guimarães e durante o Campeonato Nacional  de me reunir com o Veterinário responsável da GREENVET, Dr. Maurizio, fiquei admirado e  desconfiado deste método sem antibióticos e derivados, mas ao mesmo tempo confiante.

Este novo método consiste em produtos para adicionar na agua de bebida e nas papas.
Na agua de bebida tem uma vantagem ímpar,o PRODUTO PODE ESTAR ADMINISTRADO NA ÁGUA 3 DIAS SEM NECESSIDADE DE SER SUBSTITUÍDO *, pois não perde a sua eficácia. Aqui eu adiciono num dia à noite e fica nos 2 dias seguintes,fazendo isto durante 3 vezes sendo que a ultima adição fica 3 dias, o que perfaz uma semana.


MANUTENÇÃO

1ª SEMANA

AGUA -  NUOVO APACOX  - 1 ML / LITRO DE AGUA *
           
PAPA  -   BIOINTEGRA        - 40 GRAMAS POR QUILO DE PAPA
       
2ª SEMANA 

AGUA - SIMPLES

PAPA -   BIOINTEGRA        - 40 GRAMAS POR QUILO DE PAPA

3ª SEMANA

AGUA -  NUOVO GR  +  ZOOFOOD P/L     - 1 ML CADA POR LITRO DE AGUA *

PAPA  -  BIOINTEGRA       - 40 GRAMAS POR QUILO NA PAPA

 4ª SEMANA 

AGUA -  SIMLES
              
PAPA  -  BIOINTEGRA      - 40 GRAMAS POR QUILO NA PAPA


Este é o esquema que mantenho todo o ano, salvo as alterações que mencionarei  mais à  frente.


PREPARAÇÃO DA CRIAÇÃO (CERCA DE 6 SEMANAS ANTES DO ACASALAMENTO)


1ª SEMANA

AGUA -  NUOVO GR  +  ZOOFOOD P/L  - 1 ML  CADA LITRO DE AGUA *  (FÊMEAS)

AGUA -  NUOVO GR  +  ZOOFOOD P/L  + NUOVO APASPRINT ( MACHOS)
1 ML   CADA LITRO  DE AGUA *
           
PAPA  -   BIOINTEGRA  40GR  +GR MICRO 30 GR  POR QUILO DE PAPA
       
2ª SEMANA 

AGUA -  NUOVO APASPRINT (MACHOS) 1 ML  / LITRO  DE AGUA *

AGUA -  SIMLES  (FÊMEAS)

PAPA -   BIOINTEGRA        - 40 GRAMAS POR QUILO DE PAPA

3ª SEMANA

AGUA -  NUOVO APACOX + PRIVIRUM     - 1 ML CADA POR  LITRO AGUA  (FÊMEAS)

AGUA -  NUOVO APACOX + PRIVIRUM + NUOVO APASPRINT    - 1 ML CADA POR  LITRO AGUA (MACHOS)

PAPA  -  BIOINTEGRA       - 40 GRAMAS POR QUILO NA PAPA

 4ª SEMANA 

AGUA -  NUOVO APASPRINT (MACHOS e FÊMEAS)
              
PAPA  -  BIOINTEGRA      - 40 GRAMAS POR QUILO NA PAPA

MUDA

Na muda adiciono à agua NUVO GI. RO.VIT.
Às crias após a separação dos pais  adiciono o NUVO GI. RO.VIT. De seguida  juntamente ao NUOVO APACOX ou ao  NUOVO GR  +  ZOOFOOD P/L, conforme quadro de manutenção, até completar a muda.
Nos reprodutores após a separação passo a dar  juntamente ao NUOVO APACOX ou ao NUOVO GR  +  ZOOFOOD P/L, conforme quadro de manutenção, até completar a muda.

CRIÇÃO

Na papa de criação adiciono o BIOINTEGRA,  40 gramas por quilo que é um coadjuvante alimentar com leveduras naturais que regulariza as funções digestivas, potencia a flora microbiana intestinal , absorção dos principais nutrientes , além de fornecer substancias naturais (pro vitaminas, oligoelementos, aminoácidos,, sais minerais, etc) de alta biodisponibilidade,  essenciais para o desenvolvimento das ninhadas e para uma maior resistência ás doenças.

Adiciono também o GR MICRO, 30 gramas por quilo, produto de muita importância para reprodutores e  crias, pois é um coadjuvante alimentar indicado para a prevenção e tratamento das infecções gastrointestinais e estimula o sistema imunitário, combatendo o síndroma do ponto negro.
Utilizo na papa de palitada durante os primeiros dias.
Aplico durante 7 dias por mês.

Na papa com o corante também adiciono o APASYL PLUS 30 gramas por quilo.para protecção do Fígado e uma melhor absorção do corante durante o período de muda, 30 a 45 dias

Como faço criação de ASAS BRANCAS, adiciono cerca de 30 dias antes de  acasalar o APASYL na agua de bebida, 1 ml por litro de agua durante uma semana, Este adição ajuda a manter as asas "mais brancas", pois ao "limpar o fígado" menos carotóides se vão acumular nas penas, que no caso dos MOSAICOS E ASAS BRANCAS é essencial. Repito o tratamento a cada 60 dias, até à época de exposições.

Foi o que fiz em 2014 e estou a repetir em 2015

Mas o 2014 não foi cor de rosa, foi uma época que não correu como devia ser, e porquê?

Começou lindamente, adquiri  aves de um Colega que deixou de criar, e esqueci aquele norma que é de fazer uma quarentena e usei a máxima "olha para o que eu digo e não faças o que eu faço"
Resultado, nos primeiros dias que coincidiram com os 1ºs nascimentos, numa semana  entre 100/a 150 crias morreram, reprodutores com diarreias, terrível demais para ser verdade.

Enviei fezes, crias mortas e algumas que iriam falecer com a certeza absoluta, para análises.

O exame efectuado pelo Dr. Hélder Lousada com o resultado abaixo descrito;

Segue em anexo relatório das analises mandadas efectuar pelo ex.mo Sr. Cunha.

Tal como já lhe disse ao telefone, não conseguimos determinar a origem do problema que conduziu á morte das aves, uma vez que pesquisadas as razões mais vulgares, bacterianas e parasitarias, nomeadamente a coccidiose não se encontrou nenhuma destas patologias.
Pelo que recomendamos que procure um laboratório onde possam pesquisar aflo toxinas e ou vírus uma vez que com os meios que dispomos não encontramos nenhum agente etiológico susceptível de lhe provocar mortalidade nos jovens.

Com os melhores cumprimentos

Hélder Lousada

Uma coisa é certa, o novo tratamento foi eficaz

Após falar  com o Dr.Maurizio resolvi fazer uma experiência 

Fazer um nova adição de   NUOVO APACOX  +  NUOVO TRICOFOOD, em dose máxima aconselhável durante 1 semana ( 2 ML  / LITRO  DE AGUA) a um grupo de casais e a outro grupo adicionei  CLAVAMOX DT 400.

Nos primeiros dias em ambos os grupos, verifiquei que as diarreias tinham terminado.
A diferença significativa foi que aos casais que adicionei o  NUOVO APACOX  +  NUOVO TRICOFOOD a recuperação dos reprodutores foi mais significativa, sendo que no caso dos de
CLAVAMOX DT 400, a recuperação foi mais lenta e tive alguns casais que não tiveram mais crias.

Como nota de vez em quando acrescento o NUOVO TRICOFOOD com NUOVO APACOX.

VACINEI os meus canários para a varíola, Esta vacinação pecou por tardia, pois foi efectuada em princípios de Janeiro e devia ter sido em finais de Agosto ou princípios de Setembro, será assim este ano. (espero)
Vacinação a repetir e acho que por todos nós.

Nos dias livres continuo a adicionar à água de bebida HEXA PLUS, como desinfectante da agua de bebida

Uma vez por ano continuo a dar 5 dias de HEXA PLUS por "descargo de consciência"na dose  10 ml por litro de agua com uma colher de sopa com mel, para tratar possível Candida Albicans,

Na alimentação dou o granulado LEGAZIM e mistura T3 OURO da MANITOBA.

Dou também germinado MANITOBA, pois posso afirmar que a percentagem de germinação é de quase 100% .

A papa  COMPLET MOSAIK,foi a que usei com o germinado, pois após adicionar o mesmo a papa fica macia e solta, mesmo adicionando o RUSK

Na papa de muda vou alterar para a RAGGIO DI SOLE TH LIPO SOFT ou a MANITOBA CANDIDO BIANCO, tendo esta ultima uma excelente apetência por parte das aves e bastante húmida para a adição do corante, assim como o preço.

Boas criações














           
       


         
           -


terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

NEGRO PASTEL VERMELHO MOSAICO

Esta fêmea é o resultado de 6 anos de trabalho só com NEGROS. Não tem linha àgata como progenitores.

Embora não pareça, nas 3 fotos a ave é a mesma.
Por causa destes factores não gosto de me pronunciar de aves em fotos.

terça-feira, 9 de abril de 2013

ÉPOCA 2013

Como é de conhecimento de alguns, este ano efectuei algumas alterações de fundo.

ALIMENTAÇÃO BASE

Na alimentação base troquei a alimentação principal da NUTRIBIRD pela LEGAZIM.
Esta substituição ficou a dever-se a um problema, penso que será de fabrico por parte da VERSELE-LAGA.
Como adquiria este em caixas de 20 quilos (5x4),  quando o adquiria novamente, o lote já  não era o mesmo, sendo por vezes diferente em tamanho (volume do extrusionado)  e em tonalidade de  cor. Aqui residia o problema, pois quando era mais claro verifiquei que era mais mole em relação que vinha mais escuro. Esta situação também se me deparava quando mudava do C-15 para o C-19 e vice-versa. Nestas mudanças o desperdício era enorme, pois as aves demoravam a habituar-se.
Acho que ao ter só uma cor, não é relevante, pois as aves desperdiçavam de todas as cores. Só tive um macho que me desperdiçava as "avermelhadas", comendo as restantes sem problemas.
Nos primeiros tempos a Versele Laga Portuguesa fez-me a troca, mas na minha ultima chamada de atenção não a fizeram.
Como alguns Colegas já o usavam, resolvi experimentar em algumas aves e como o resultado foi bom fiz a mudança total para o Legazim. 
Tive uma situação que me agradou imenso, que foi a rápida mudança sem sensíveis desperdícios, assim como a rápida adaptação das aves adquiridas. Basta um comedouro com 50% de alpista e 50% de Legazim e outro só com Legazim. Chega uma semana para a transição.
Como já o uso desde Janeiro e de todas as vezes que o adquiri, não detectei qualquer diferença no mesmo que causa-se desperdício digno de nota, mesmo quando dava sementes, Nutribird, também havia desperdício.
Não à regra sem excepção, pois tinha um macho que me desperdiçava imenso, mas ao acasalá-lo esta situação colmatou, por vezes os machos com o cio tem estas e outras taras.
Na embalagem, existe uma diferença, o granulado vem agora dentro de um saco de plástico que o protege, visto que o saco de papel exterior como vinha anteriormente não dava dava garantias de conservação, essencialmente em relação à humidade.
Este é mais dispendioso que o Nutribird, mas também constatei que o consumo é menor assim como o desperdício, o que não varia muito o preço final.
Este tem de proteína bruta 18%, portanto um valor intermédio superior, o que na altura da criação e muda temos que compensar.
Este ano, voltei ao germinado na papa. Existe sempre o problema de fungos, e para prevenir deito na agua onde ponho as sementes a germinar, um anti fungos, no meu caso  FUNGISTOP, mesmo tendo feito um "tratamento" de 21 dias com Fungizone, a 2 ml por litro. Não esquecer que a AMPHOTÉRICINA é muito forte, atacando essencialmente o fígado. Não deixo de dar diariamente o HEXA PLUS na agua, mudando-a  de 4 em 4 dias e usando a dose actualmente de 3 ml por litro.
A papa que estou a usar com o germinado também é da Legazim, (de preferência gosto que sejam da mesma proveniência)  pois como papa seca tem 20,5 de Proteína Bruta, o que é bom. Acrescento levedura de cerveja, alho em pó e  Orégão.
Quando as crias nascem tenho um comedouro com sementes de perilha que mantenho enquanto as crias estão com os Pais.
Tenho também um comedouro com papa húmida da mesma marca, onde adiciono os oxidantes nas raças onde é necessário, assim como vitaminas, pois as fêmeas estão habituadas a esta papa durante o ano.
Não esquecer um comedouro com grite à disposição.
Na "palitada" continuo com a A-19 Veresele-Laga, com 1 gr de Slimfly por cada 100 gr de papa.



quinta-feira, 8 de março de 2012

SEGURANÇA ANTI ROUBOS

Boas,
No inicio do mês passado, tive uma tentativa de roubo, nenhuma novidade infelizmente para o nosso mundo Ornitológico.
Surpresa minha quando cheguei ao canaril e deparei com a porta encostada, não fechada à chave e com as duas voltas habituais. Mais, a porta interior que dá acesso à repartição onde se encontra o Computador (pré-histórico) e arrumos também estava aberta até uma certa posição, posição que acciona o alarme que lá tinha instalado. Ao desligar o mesmo me deu um sinal que foi accionado. Olho para a fechadura e não noto sinais de ter sido forçada, mas mesmo assim o técnico das mesmas me informou que mesmo nas fechaduras de cruz as combinações não são muito elevadas, chaves mestras. O alarme que tinha instalado era um alarme que funciona e funcionou mas não tem GSM e só tinha campainha interior o que com um pouco de barulho exterior dava para "abafar".
Bem, resolvo fazer o que ando à muito para fazer, um sistema de alarme mais desenvolvido com cartão para alerta aos nossos telefones independentemente das campainhas exteriores de alto volume.
Não pensem que um cão pode resolver, pois tenho um bicho de 56 quilos e nesse dia o cão estava preso numa outra secção, altura de cio !! , pode atenuar ou dificultar, pois abatem os animais se conseguirem.
Aqui entra o interesse da minha mensagem.
Pedi orçamentos, como sempre devemos fazer e analisar.
Aconteceu que uma empresa ao lado da minha trocou de dono e por conseguinte de alarmes. Pedi os mesmos ao antigo Dono, que me ofereceu. Aproveitou-se quase tudo menos a central, pois a mesma por razões óbvias de segurança só podem ser montadas pelas empresas originais de montagem ou alguém no ramo que tenha acesso aos esquemas, o que não foi o meu caso, mas ,mesmo assim ficou muito mais em conta.
O técnico de alarmes que montou começou o serviço pelas 20.45 +- e acabou pelas 3.30, quase 7 horas, ufa.
Ficou coberto por quatro sensores dos mais eficazes e mais alguns "segredos" que como é óbvio não vou revelar, por segurança.
Acertos dos mesmos no dia a seguir, pois durante o dia o mesmo foi accionado.
O meu conselho, falarmos com Colegas para ver se conhecem alguém que trabalhe no ramo e possam por ventura ter aparelhos de retoma que possam montar a preços mais acessíveis sem mais custos.
Não se esqueçam de no fim da montagem participar os mesmos à GNR ou PSP, pois com a lei do ruído, a isso somos obrigados.
Espero ter sido útil.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

ÉPOCA DE 2012

Conforme prometido, aqui vai...

ALIMENTAÇÃO
Tem havido uma vaga de fundo, que é a substituição da mistura de sementes por ração extrusada.
No principio tive alguma reticencia na mudança, mas após várias consultas e de muito pensar optei por ração extrusada sem retirar na totalidade as sementes, continuando a dar alpista em comedouros separados. Com este acto não perdem as aves o costume das sementes e no fim da criação as aves para exposição e cedência não irão ter problemas, "velhos hábitos"... .
Comecei a pôr à descrição dos Reprodutores e das aves adquiridas . As restantes aves que ainda tenho para ceder mantém a habitual mistura.
Após consultas e pelo que tive conhecimento optei pelo NUTRIBIRD da Versele-Laga.
Optei por várias razões, sendo a mais importante para mim a razão de ter 2 variedades e as mesmas conterem FLORASTIMUL, que ajuda a "suportar" a flora intestinal e distúrbios intestinais.
Manutenção - C 15 - Proteína 15% - Manutenção
Manutenção - C 19 - Proteína 19% - Criação e Muda
Tive mais outras razões que é o preço, que é significamente mais económica comprando em cx de 20 Quilos e não esquecendo o acondicionamento em saco de alumínio em atmosfera protegida, o que protege de humidades e cheiros químicos.
Após uns dias (+-15dias) passei a dar só o C-15 e actualmente o C-19 e já não dou sementes ás aves que tenho seleccionadas para minha criação. Li algures que se o extrusionado for bom, as sementes podem causar distúrbios intestinais em virtude de "descalibrar" a alimentação.
Também Colegas que usam o mesmo tipo de alimentação, não tiveram qualquer problema em preparar as aves para concurso, pois o instinto natural das aves ao verem as sementes facilmente se adaptam ás mesmas.
Notei no principio um desperdício para que já tinha sido alertado por Colegas Nacionais e Estrangeiros, independentemente da marca pois este "problema" acontece com Criadores que utilizam marcas diferentes.
Tive que mudar os meus comedouros, pois quando damos sementes, os mesmos devem ser o mais escuros (fechados), para que a ave penique a semente e coma fora do mesmo, tendo assim a vantagem de as cascas caírem fora do mesmo, mas no caso do extrusionado prefiro os comedouros transparentes para que as aves comam dentro do mesmo e haver menos desperdício e não devemos encher os mesmos.
Notei que algumas (muito poucas) aves tinham/tem um desperdício que as outras não tinham. Após analise mais cuidada verifiquei que uma das remessas que tinha adquirido, o extrusionado era maior que o já adquirido. Contactei a Verselaga e logo se disponibilizaram para a troca o que aconteceu em 24 horas (aprecio firmas com este cuidado, dão-nos garantias se houver problemas). Por incrível que pareça tenho um canário que actualmente é o único que me desperdiça um pouco. Tive o cuidado de observar o mesmo e verifiquei que o mesmo não come como os demais, notei que com o extrusionado na boca por vezes o deixa cair e julgo que será por ser uma ave de 2008 e estar habituada a descascar as sementes, o que não é agora necessário.
Também reparei que o extrusionado recusado era de várias cores, portanto sendo o mesmo de cores diversas não é o problema, julgo eu que o hábito ás mesmas irá colmatar o problema.

PAPAS
Devido ao alto valor monetário que as papas aparecem no mercado e em comparação com o preço praticado em outros Países, duma situação tenho a certeza, não é só culpa da diferença da taxa do IVA, mas também julgo eu dos Importadores, pois em certas marcas a diferença do nosso Pais para outros é relativamente pequena, ao passo que outras passa-se o contrário, grandes diferenças, apesar de alguns Países também importarem de outros a papa e nesses Países os ordenados são mais elevados, dá para entender...
Este ano e com o estou a dar uma alimentação base mais rica, vou dar uma papa mais "em conta" sem menosprezar a qualidade e após várias consultas e testes escolhi a BIANCOPAST da CANARY como papa húmida com 15% de Proteína Bruta e a seca a PLUME com 21%. Tenho estas papas a bom preço e faço a mistura na proporção de 70% húmida com 30% seca. A BIANCOPASTé uma papa húmida que para pôr á descrição acho-a demais e como tal compenso com uma seca Tenho dois cuidados que são o de ralar a papa seca, pois esta vem mais grossa e para ficar igual á humida o de fazer a mistura com uns dias de antecedência para a gordura da húmida passar para a seca e ficar mais homogénea.
Um outro item é a da BIANCOPAST ser uma boa papa para a muda, pois tem a característica de ser húmida o suficiente e de ter uma textura para adicionar o corante e ser bem aceite pelas aves e também por nós Criadores pelo seu cheiro embora as aves não o tenham muito apurado.
VITAMINAS e AFINS
Continuo a dar com a água o HEXA-PLUS, e na papa com estou na fase final da preparação além do ORNICUNA Q estou a disponibilizar uma vitamina E concentrada, pois fica mais económica que é a MEGAVIT E 50% que fica mais económica que a de 10%.
Acrescento um fermento e umas "ervas" que é o FITOBIOL da Pineta.
Quando nascerem vou continuar a dar nos primeiros 7 dias o SLINFLY PLUS para prevenir os problemas habituais e vou continuar o que tenho feito nas épocas anteriores.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

FALTA DE HUMIDADE

Como o ano vai seco e frio, os Colegas com a necessidade de climatizar o ambiente para não baixarem a niveis criticos de temperatura os que já estão em crição, o que não é o meu caso, tem o problema de ao aquecer o ambiente baixar mais ainda a humidade e a mesma causar problema na eclosão dos ovos.


Como sou um criador de iniciar mais tarde (ainda nem sequer acasalei e tendo ainda machos em voadeira), tambem tenho o problema de criar durante o tempo mais quente e ter o falta de humidade, que colmato com banho á disposição durante o choco. Quando as femeas não tomam banho ao 12º dia faço um "banho" aos ovos, que consiste em aquecer agua á temperatura de 40º/42º e colocar os ovos na mesma durante alguns segundos. Este "banho" vai "amolecer" a casca e favorecer a eclosão.


Este acto tambem pode ser efectuado com outra finalidade, que é a de verificar o estado do embrião. Por vezes as aves ainda não eclodiram aos 15 dias ou mais de choco e ao fazer este teste verificamos se os embriões estão mortos ou vivos, pois os que estão vivos os ovos "bailam" na agua, sinal de vida. Por vezes durante o tempo mais frio o choco dura mais 1 dia ou mais. Já me aconteceu de fazer o teste aos 15 dias e dar sinal de vida e as crias nascerem 1 ou 2 dias depois.
Espero ter sido util.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

ÉPOCA de PREPARAÇÃO

Está a começar para mim uma nova época, visto que as minhas condições não dão para poder começar a criação antes de finais de Fevereiro/ meados de Março, devido à localização do meu viveiro, óptimo na Primavera e Verão e mau nos tempos frios como no Outono e Inverno.
Este ano consegui mandar fazer uma análise ás fezes dos meus reprodutores e ás novas aquisições. Este acto tornou-se mais facilitado por haver uma Clínica Veterinária em Braga que está especializada em aves e em exóticos.
Acho de extrema importância uma análise ás nossas aves, antes de dar medicamentos "preventivos". Se as aves não acusarem qualquer "problema", porquê dar medicamentos que só vão prejudicar a saúde das aves, nomeadamente a nível de flora intestinal e ás nossas finanças.
Aproveito para lamentar a falta de comercialização da vacina contra a varíola por uma empresa de distribuição credível, visto que estas tem que estar em sistema de frio. Se houver, as minhas desculpas à, às mesmas e gostaria de saber qual, quais. Podia esta, podiam estas, aproveitar o sistema de distribuição às Clínicas Veterinárias que existem para comercializar a mesma, visto que estas tem um controle sobre as mesmas como para os cães , por exemplo. Basta estas estarem fora do circuito de frio durante um certo período de tempo, para se tornarem nulas.

Fiquei deveras surpreendido com os resultados e em especial no que respeita ás MEGABACTÉRIAS, pois deu negativo assim como;

Exame Directo:
A amostra é negativa para o despiste de oocistos (Coccídeas), ténias, nemátodes e tremátodes
Exame de Flutuação:
A amostra é negativa para o despiste de oocistos (Coccídeas) e ovos de nemátodes.
Coloração de Gram:
A amostra é negativa para o despiste de Megabactérias.
(Exames efectuados na Clínica Exótico em Braga)

Atrevo-me a suspeitar que os responsáveis pela "eliminação" das Megabactérias é o produto
HEXA-PLUS na dose de 2cc por litro de água. e um outro que adiciono á papa que é o ORNICUMA Q na razão de 4 gr por quilo de papa, produto este natural da marca GeaVet que adquiri em Itália no ano passado e perante um estudo apresentado por esta empresa. Pensei que um produto na água que ajudaria a manter a água com uma certa acidez para o não desenvolvimento das Megabactérias e Fungos e cria um ambiente desfavorável ao crescimento e desenvolvimento de Bactérias (nomeadamente Salmonela e Coliformes).O ORNICUMA Q na papa seria um produto que também está direccionado em estimular o desenvolvimento intestinal e combate aos fungos e por inerência as Megabactérias. (Ver no site http://www.geavet.com/ESP/pdf/Ficha%20Orni%20Q.pdf )

Irei fazer uma desparitização para descargo de "consciência" com o Vetverm plus, pois prefiro usar os medicamentos/vitaminas dos mesmos Laboratórios se houver essa possibilidade.

Esta época vou efectuar umas "alterações" radicais a desenvolver no próximo artigo.